A questão da independência do Banco Central: uma análise do caso brasileiro

Autores

DOI:

https://doi.org/10.14393/REE-v32n1a2017-8

Resumo

O artigo examina a questão da independência do Banco Central do Brasil (BCB) e sua relação com o governo brasileiro. Primeiramente, são apresentados os pressupostos que conformam o arcabouço teórico da proposta de independência do Banco Central (IBC). Depois, discutem-se os principais argumentos favoráveis e contrários à independência do BCB e se existem evidências de que o governo influencia em suas decisões, bem como as possíveis implicações disso para a condução da política monetária. Conclui-se que mais importante que a concessão da referida independência é a normatização do relacionamento entre autoridade monetária, governo e setor privado, estabelecendo-se institucionalidades garantidoras da participação do BCB nas decisões governamentais.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Juliano Vargas, Doutorando em Economia pela Universidade de Brasília (UnB).

Doutorando em Economia pela Universidade de Brasília (UnB), bolsista da CAPES. Membro do Grupo de Estudos de Macroeconomia (GREM), do Grupo de Pesquisa em Instituições, Desenvolvimento Econômico e Sustentabilidade (GPIDES) e do Grupo de Estudos de Economia da Cultura, Comunicação, Informação e Conhecimento (GEECCIC), todos do Programa de Pós-Graduação em Economia da Universidade Federal do Espírito Santo (PPGE/UFES).

Hugo Leonardo Salgado Brazil, Universidade Federal do Espírito Santo

Mestre em Economia pela Universidade Federal do Espírito Santo (2015).

Downloads

Publicado

2018-03-12

Edição

Seção

Artigos