A FEIRA É LIVRE (?): ESTUDO SOBRE FENÔMENOS SOCIAIS, SÍMBOLOS E SIGNIFICADOS DO COTIDIANO DE UMA FEIRA DA BAHIA

Autores

DOI:

https://doi.org/10.14393/Hygeia17057222

Palavras-chave:

Feira Livre, Alimentação Saudável, Cultura, Mulheres Trabalhadoras, Segurança Alimentar e Nutricional

Resumo

O presente estudo tem como objetivo analisar os significados acerca da “comida de feira” sob a ótica de mulheres trabalhadoras em uma feira livre, bem como suas acepções sobre alimentação saudável. Situado no campo das ciências da saúde e socioantropologia, a pesquisa foi desenvolvida a partir de uma abordagem qualitativa, construída a partir de observação direta com registro em diário de campo e entrevistas semiestruturadas contendo questões norteadoras. Os resultados foram organizados em quatro categorias, sendo estas: “Primeiro olhar sobre a feira”, que apresenta uma visão geral do espaço em estudo; Faces da reforma: “feira hoje parece que tem um dono”, que discorre sobre os impactos da recente reforma da feira livre; “O se tornar feirante”, que dialoga sobre a construção da profissão de feirante; Comida de feira: “aqui tem comida de todo tipo”, onde é feita uma análise da comida da feira livre e a acepção do saudável. Com este estudo, conclui-se que a feira livre, sob a perspectiva das feirantes, configura-se como cenário para além da distribuição e comercialização de alimentos. As percepções sobre a comida de feira e as nuances do conceito de saudável também ultrapassam os aspectos nutricionais e incluem valores socialmente construídos.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2021-05-20

Como Citar

LIMA MARTINS, S. K. .; HENRIQUE QUEIROZ PEREIRA, M. .; CRUZ PORCINO , D. . A FEIRA É LIVRE (?): ESTUDO SOBRE FENÔMENOS SOCIAIS, SÍMBOLOS E SIGNIFICADOS DO COTIDIANO DE UMA FEIRA DA BAHIA. Hygeia - Revista Brasileira de Geografia Médica e da Saúde, [S. l.], v. 17, p. 110–120, 2021. DOI: 10.14393/Hygeia17057222. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/hygeia/article/view/57222. Acesso em: 13 ago. 2022.

Edição

Seção

Artigos