SAÚDE AMBIENTAL A PARTIR DA REVEGETAÇÃO DE MATA CILIAR EM ÁREA URBANA

Autores

  • Winston Kleiber Almeida Bacelar UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERL

DOI:

https://doi.org/10.14393/Hygeia1235758

Palavras-chave:

Saúde Coletiva, Saúde Ambiental, Revegetação, APP Urbana

Resumo

A ocupação das margens do Rio Bagagem no município de Estrela do Sul remonta ao início do século 18. Assim, suas margens e leito serviram para uma miríade de aventureiros, posseiros e proprietários de imóveis que margeiam seu curso, perseguissem o sonho da riqueza proporcionada pelo garimpo de diamantes. Concomitante a este fenômeno de faiscação ocorre a ocupação das margens, tanto urbanas como rurais, de atividades de pecuária e em menor escala de agricultura. O garimpo e a agropecuária durante séculos alteraram a fitopaisagem das matas ciliares e a APP do rio Bagagem, mais incidentemente em sua área urbana, pois que além das atividades econômicas ali desenvolvidas ainda veio a ocupação com residências e seus quintais. A recuperação de vegetação ciliar em ambientes urbanos é um desafio para a sociedade e representa uma nova abordagem para a área da Saúde, especialmente para as suas subáreas: a Saúde Coletiva e a Saúde Ambiental. Estas subáreas da Saúde tratam do tema sob o ponto de vista da construção da Cidade Saudável, visto que esta temática dentro pode ser abordada a partir da compreensão de que a saúde do homem está intimamente atrelada à saúde do ambiente.  

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Winston Kleiber Almeida Bacelar, UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERL

Professor Adjunto do Instituto de Geografia no curso de Gestão em Saúde Ambiental da Unbiversidade Federal de Uberlândia.

Downloads

Publicado

16-12-2016

Como Citar

BACELAR, W. K. A. SAÚDE AMBIENTAL A PARTIR DA REVEGETAÇÃO DE MATA CILIAR EM ÁREA URBANA. Hygeia - Revista Brasileira de Geografia Médica e da Saúde, [S. l.], v. 12, n. 23, p. 44–59, 2016. DOI: 10.14393/Hygeia1235758. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/hygeia/article/view/35758. Acesso em: 8 dez. 2022.

Edição

Seção

Artigos