PARASITOSES INTESTINAIS E ASPECTOS SOCIOSSANITÁRIOS NO NORDESTE BRASILEIRO NO SÉCULO XXI: UMA REVISÃO DE LITERATURA

Autores

  • Carlos Vangerre de Almeida Maia Instituto Centro de Ensino Tecnológico do Ceará - CENTEC
  • Izabella Cabral Hassum Empresa Brasileira de Agropecuária - EMPBRAPA Meio Norte

Resumo

O presente estudo visa identificar, mediante revisão de literatura, qual o grupo populacional que mais serviu de base para estudos transversais enteroparasitológicos no Nordeste do Brasil, entre 2001 e 2011, cujas bases de dados utilizadas para a pesquisa foram a Biblioteca Virtual de Saúde e Scientific Eletronic Library Online (SciELO), utilizando-se combinação de descritores e operadores booleanos e adontando critérios de elegibilidade para a seleção de artigos. Foram encontrados 14 trabalhos elegíveis, cuja maior produção se concentra em crianças e buscam associação com possíveis fatores de risco, como iníquo acesso aos serviços de saneamento, educação e higiene. A maior parte das publicações foi produzida a partir da segunda metade da primeira década do corrente século. Os estudos transversais são importantes para a elaboração e execução de políticas públicas, especialmente aquelas que almejem combater e erradicar entraves para o desenvolvimento nacional, como é o caso do enteroparasitismo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Carlos Vangerre de Almeida Maia, Instituto Centro de Ensino Tecnológico do Ceará - CENTEC

Mestrado em Desenvolvimento e Meio Ambiente - Universidade Federal do Piauí - UFPI

Izabella Cabral Hassum, Empresa Brasileira de Agropecuária - EMPBRAPA Meio Norte

Doutorado em Ciências Veterinárias - Parasitologia Veterinária - Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro, UFRRJ.

Downloads

Publicado

2016-12-16

Como Citar

MAIA, C. V. de A.; HASSUM, I. C. PARASITOSES INTESTINAIS E ASPECTOS SOCIOSSANITÁRIOS NO NORDESTE BRASILEIRO NO SÉCULO XXI: UMA REVISÃO DE LITERATURA. Hygeia - Revista Brasileira de Geografia Médica e da Saúde, [S. l.], v. 12, n. 23, p. 20–30, 2016. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/hygeia/article/view/34865. Acesso em: 7 ago. 2022.

Edição

Seção

Artigos