AMBIENTE E PULMÃO

Autores

  • Camila Grosso Souza Doutoranda em Geografia/FCT-Unesp
  • João Lima Sant'Anna Neto Prof. Dr. Departamento de Geografia da FCT/UNESP

Resumo

Um dos problemas contemporâneos, que mais preocupam a sociedade, são as grandes mudanças produzidas no meio ambiente pelas atividades do homem. O homem, ao modificar a paisagem local (surgimento de cidades e suas edificações), altera o complexo equilíbrio entre a superfície e a atmosfera. Dentre as principais causas das enfermidades da sociedade urbana está a questão da qualidade socioambiental. O processo adaptativo do homem à cidade, ao longo da história, implicou-se no aumento de casos de doenças crônicas, à medida em que as condições do ambiente, de forma cumulativa, degradaram-se. Com destaque nas últimas décadas, uma das formas de contaminação do meio ambiente, que vem crescendo, é a contaminação atmosférica urbana, ocasionada pela liberação de grande quantidade e variedade de substâncias, que são produzidas pelos diversos tipos de atividades humanas, e seus efeitos sob a saúde, com destaque para as doenças respiratórias. Um dos aparelhos do corpo humano, que tem maior relação com o meio ambiente, é o aparelho respiratório. Dada a grande quantidade de ar que o ser humano respira, qualquer modificação na composição do ar, ou mesmo em suas propriedades físicas (como a temperatura e umidade), pode constituir num verdadeiro problema para o indivíduo. Por fim, acredita-se que a descrição das condições de saúde da população, somadas à investigação de fatores determinantes das doenças e a avaliação do impacto de ações para alterar a situação de saúde, podem contribuir na avaliação e melhoria da qualidade de vida. Palavras-chave: geografia da saúde, ambiente, doenças respiratórias, saúde, poluição.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2011-07-05

Como Citar

SOUZA, C. G.; SANT’ANNA NETO, J. L. AMBIENTE E PULMÃO. Hygeia - Revista Brasileira de Geografia Médica e da Saúde, [S. l.], v. 7, n. 12, 2011. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/hygeia/article/view/17031. Acesso em: 21 maio. 2022.

Edição

Seção

Artigos