Fatores determinantes da infestação predial por roedores nas Subprefeituras de São Paulo / RISK FACTORS OF URBAN RODENT INFESTATION IN SAO PAULO BOROUGHS, BRAZIL

Autores

  • Eduardo de Masi Supervisão de Vigilância em Saúde do Campo Limpo, Secretaria Municipal da Sa
  • Francisco Alberto Pino Professor do Programa de Pós Graduação de Pós-Graduação do Instituto Biol
  • Maria das Graças Soares dos Santos Gerência de Vigilância em Saúde Ambiental, Coordenação de Vigilância em Sa
  • Ludivig Genehr Gerência de Vigilância em Saúde Ambiental, Coordenação de Vigilância em Sa
  • José Olímpio de Moura Albuquerque Núcleo de Informação, Coordenação de Vigilância em Saúde, Secretaria Muni
  • Andréa De Meo Bancher Núcleo de Informação, Coordenação de Vigilância em Saúde, Secretaria Muni
  • Julio César de Magalhães Alves Núcleo de Informação, Coordenação de Vigilância em Saúde, Secretaria Muni
  • Cleir Aparecido Santana Núcleo de Informação, Coordenação de Vigilância em Saúde, Secretaria Muni

Palavras-chave:

saúde ambiental, controle de roedores, fatores de risco, reservatórios de doenças, análise por conglomerados, modelos logísticos

Resumo

As ações de vigilância em saúde na cidade de São Paulo são organizadas segundo a divisão geopolítica administrativa em 31 Subprefeituras. Visando compreender os fatores socioeconômicos e ambientais determinantes da infestação por roedores em cada Subprefeitura, realizou-se levantamento de infestação predial por roedores, onde foram visitados 23.606 imóveis selecionados por amostragem probabilística. Estimaram-se a taxa de infestação predial por roedores e a freqüência dos fatores ambientais, referentes à disponibilidade de alimento, abrigo e acesso. Classificaram-se as Subprefeituras em grupos homogêneos quanto às condições socioeconômicas e ambientais. Depois, estimaram-se modelos de regressão logística buscando entender os fatores explicativos da infestação em cada grupo. As 31 Subprefeituras formaram 6 grupos homogêneos, onde as taxas médias de infestação por roedores variaram de 15,84% a 41,36%. Os modelos logísticos evidenciaram que em diferentes localidades distintas condições dirigem as infestações. Os resultados geram possibilidade de intervenção direta e dirigida pelo poder público nos fatores determinantes da infestação por roedores.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2009-10-04

Como Citar

MASI, E. de; PINO, F. A.; SANTOS, M. das G. S. dos; GENEHR, L.; ALBUQUERQUE, J. O. de M.; BANCHER, A. D. M.; ALVES, J. C. de M.; SANTANA, C. A. Fatores determinantes da infestação predial por roedores nas Subprefeituras de São Paulo / RISK FACTORS OF URBAN RODENT INFESTATION IN SAO PAULO BOROUGHS, BRAZIL. Hygeia - Revista Brasileira de Geografia Médica e da Saúde, [S. l.], v. 5, n. 8, 2009. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/hygeia/article/view/16925. Acesso em: 14 ago. 2022.

Edição

Seção

Artigos