Francesa e Duas Cidades: livros franceses e livrarias em São Paulo (1950-1960)

Autores

  • Fabiana Marchetti
  • Hugo Quinta

DOI:

https://doi.org/10.14393/artc-v25-n46-2023-71187

Palavras-chave:

Livraria Francesa, Livraria Duas Cidades, importação de livros

Resumo

Este artigo apresenta e analisa a história da Livraria Francesa e da Livraria Duas Cidades, dois estabelecimentos referenciais para a intelectualidade paulistana na segunda metade do século XX. A primeira, fundada em 1947 pelo casal de imigrantes franceses Paul-Jean e Juliette Monteil; a segunda, em 1954 pelo então dominicano Frei Benevenuto de Santa Cruz. Considerando a relevância de ambas para a história do livro no Brasil, abordamos o comércio livreiro na cidade de São Paulo e seus circuitos intelectuais e culturais durante os anos 1950 e 1960. Depois examinamos as trajetórias da Francesa e da Duas Cidades nesse período, evidenciando como elas contribuíram para a construção da cultura paulistana por meio das importações de livros e revistas francesas. Essas publicações atendiam à demanda de intelectuais e universitários, o que consolidou as duas livrarias como polos importantes de formação intelectual e de sociabilidade na capital paulista.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Fabiana Marchetti

Doutoranda em História Econômica pela Universidade de São Paulo (USP). Bolsista da Fapesp. 

Hugo Quinta

Doutor em História pela Universidade Estadual Paulista (Unesp-Assis). Pós-doutorando em Jornalismo e Editoração na Escola de Comunicações e Artes da USP. Bolsista da Fapesp. Autor de A trajetória de um libertário: Pietro Gori na América do Sul (1898-1902). Foz do Iguaçu: Edunila, 2018. 

Referências

À procura de uma civilização autêntica. Folha de S. Paulo, Folha Ilustrada, 4 set. 1960.

ALBARIC, Frère Michel e MIGNON, Jacques. L’édition religieuse en France. In: FOUCHÉ, Pascal (dir.). L’édition Française: depuis 1945. Paris: Éditions du Cercle de la Librairie, 1998.

ANDRADE, Olímpio de Souza. O livro brasileiro: desde 1920. 2. ed. Rio de Janeiro-Brasília: Cátedra/INL, 1978.

ANGELO, Michelly Ramos de. Louis-Joseph Lebret e a SAGMACS: a formação de um grupo de ação para o planejamento urbano no Brasil. São Paulo: Almedina, 2013.

ARANTES, Paulo. Um departamento francês de ultramar: estudos sobre a formação da cultura filosófica uspiana: uma experiência nos anos 60. São Paulo: Paz & Terra, 1994.

Arquivo Administrativo da Livraria Francesa, Alteração Contratual de 1950. São Paulo, 21 jul. 1950.

Arquivo Administrativo da Livraria Francesa, Livros-Caixa para os anos de 1947-1957.

Arquivo Administrativo da Livraria Francesa. Inventário de mercadorias, 1949-1973.

Arquivo Público do Estado de São Paulo. Acervo do Departamento de Ordem Política e Social (Dops-SP). Prontuário 19.030. Paul-Jean Monteil.

ARRUDA, Maria Arminda do Nascimento. Metrópole e cultura: São Paulo no meio século XX. 2. ed. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, 2015.

Assinaturas de revistas francesas - Livraria Duas Cidades. O Estado de S. Paulo, Suplemento Literário, São Paulo, 12 dez. 1968.

AZZI, Riolando e GRIJP, Klaus Van der. História da Igreja no Brasil: ensaio de interpretação a partir do povo: tomo II/3-2: terceira época: 1930-1964. Petrópolis: Vozes, 2008.

BOSI, Alfredo. Economia e humanismo. Estudos Avançados, v. 26, n. 75, São Paulo, 2012

BOURDIEU, Pierre. Les conditions sociales de la circulation internationale des idées. Actes de la Recherche en Sciences Sociales, v. 145, Lyon, dez. 2002.

CANDIDO, Antonio. A literatura na evolução de uma comunidade. In: Literatura e Sociedade: estudos de teoria e história literária. São Paulo: Companhia Editora Nacional, 1976.

CARONE, Edgard. O marxismo no Brasil, das origens a 1964. Rio de Janeiro: Dois Pontos, 1986.

COELHO, Marco Antônio Tavares. Herança de um sonho: as memórias de um comunista. Rio de Janeiro: Record, 2000.

DEAECTO, Marisa Midori. O império dos livros: instituições e práticas de leitura na São Paulo oitocentista. São Paulo: Edusp, 2011.

FOUCHE, Pascal. L’edition française depuis 1945. Paris : Editions du Cercle de la Librairie, 1998.

Frei Benevenuto fará conferência religiosa. O Estado de S. Paulo, São Paulo, 31 ago. 1962.

FREI BETTO. Batismo de Sangue: os dominicanos e a morte de Carlos Marighella. 9. ed. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 1987.

GAMA, Lúcia Helena. Nos bares da vida: formação cultural e sociabilidade em São Paulo (1940-1950). São Paulo: Editora Senac, 1998.

GODOY, José Henrique Artigas de. Dom Helder Câmara e Louis-Joseph Lebret: desenvolvimentismo e práxis progressista católica nas décadas de 1950 e 1960. Dados, v. 63, n. 1, Rio de Janeiro, 2020.

GOMES, Angela de Castro Gomes e HANSEN, Patricia Santos. Apresentação – intelectuais, mediação cultural e projetos políticos: uma introdução para a delimitação do objeto de estudo. In: GOMES, Angela de Castro Gomes e HANSEN, Patricia Santos (orgs.). Intelectuais mediadores: práticas culturais e ação política. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2016.

GONÇALVES, Martin Fernando de Araújo. Cartografia das livrarias do centro de São Paulo (1930-1970). Relatório final (Trabalho apresentado ao Programa de Iniciação Científica da Pró-Reitoria da USP, com apoio do Pibic/CNPq) – Escola de Comunicações e Artes, USP, São Paulo, 2012.

HALLEWELL, Laurence. O livro no Brasil, sua história. São Paulo: Edusp, 2012.

HAUSER, Claude, LOUÉ, Thomas e VALLOTTON, Jean-Yves Molliere François (orgs.). La diplomatie par le livre: réseaux et circulation internationale de l'imprime de 1880 à nos jours. Paris: Nouveau Mondes, 2011.

IUMATTI, Paulo Teixeira. Arte & trabalho: aspectos da produção do livro em São Paulo (1914-1945). 2. ed. São Paulo: Hucitec/Fapesp, 2016.

LUCA, Tania Regina de e VIDAL, Laurent. Franceses no Brasil: séculos XIX-XX. São Paulo: Editora Edunesp, 2009.

MACHADO, Ubiratan. Pequena história das livrarias brasileiras. Cotia: Ateliê, 2009.

MARCHETTI, Fabiana. Importações de livros franceses no Brasil: apontamentos para uma história da Livraria Francesa de São Paulo. Revue Étudiante des Expressions Lusophones, n. 3, Paris, 2019.

MARTINS, Ana Luiza. Presença imigrante francesa no Brasil: entre visões do paraíso e mercados de trabalho. In: LUCA, Tania Regina de e VIDAL, Laurent. Franceses no Brasil: séculos XIX-XX. São Paulo: Editora Edunesp, 2009.

MASSI, Augusto. Revisitando Duas Cidades. Revista da Biblioteca Mário de Andrade, v. 68, São Paulo, dez. 2012.

MICELLI, Sérgio. História das Ciências Sociais no Brasil. São Paulo: Sumaré, 2001.

MOLLIER, Jean-Yves. Edição, imprensa e poder na França no século XX. São Paulo: Editoras FAP/Unifesp e Edusp, 2015.

MORSE, Richard. Formação histórica de São Paulo. São Paulo: Difel, 1970.

O Estado de S. Paulo, São Paulo, 21 set. 1952; 2 out. 1952.

PIC, Claire. Les dominicains de Toulouse au Brésil (1881-1952): de la mission a l’apostolat intellectuel. Thèse (Doctorat en Histoire) – École doctorale TESC/Université Toulouse II-Le Mirail, Toulouse, 2014.

PRADO JR., Caio. Diretrizes para uma política econômica brasileira. Tese (Cátedra) – USP, São Paulo, 1954.

QUINTA, Hugo. Garraux e os irmãos Teixeira: os livreiros-editores da pauliceia finissecular. Tempos Históricos, v. 23, Marechal Cândido Rondon, 2. sem. 2019.

ROLNIK, Raquel. A cidade e a lei: legislação, política urbana e territórios na cidade de São Paulo. São Paulo: Fapesp/Studio Nobel, 2003.

SOUZA, Luiz Alberto Gómez de. A JUC: os estudantes católicos e a política. Petrópolis: Vozes, 1984.

Downloads

Publicado

2023-06-30

Como Citar

Marchetti, F., & Quinta, H. (2023). Francesa e Duas Cidades: livros franceses e livrarias em São Paulo (1950-1960). ArtCultura, 25(46), 79–99. https://doi.org/10.14393/artc-v25-n46-2023-71187

Edição

Seção

Dossiê – Passagens do livro: história(s) transnacional(is) dos trânsitos editorais