O canto de Ulisses: as (im)possibilidades da narrativa em Primo Levi

Autores

  • Cleber Vinicius do Amaral Felipe

DOI:

https://doi.org/10.14393/artc-v23-n42-2021-61856

Palavras-chave:

Primo Levi, Dante Alighieri, Ulisses

Resumo

Ulisses, herói multifacetado, astuto e industrioso, confrontou figuras mitológicas como herói épico (Odisseia), narrou sua própria morte na condição de alma danada (Divina comédia) e foi transformado em expediente literário nos escritos de Primo Levi, que o empregou para figurar experiências dramáticas ocorridas nos campos de concentração. Pretende-se aqui investigar o lugar ocupado por Ulisses e, simultaneamente, o papel desempenhado pela cultura nos escritos de Levi. Retomar, analisar e propagar narrativas compromissadas com eventos que, frequentemente, são objeto do negacionismo histórico, como é o caso da Shoah, pode nos ajudar a perceber as potencialidades da literatura (de testemunho ou não) e a necessidade de usá-la em favor não apenas da produ- ção de conhecimento, mas também de efeitos persuasórios, na medida em que convida o leitor a refletir sobre prerrogativas do seu presente.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Cleber Vinicius do Amaral Felipe

Doutor em História pela Universidade Estadual de Campinas (Unicamp). Pós-doutorando em História na Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (Unirio). Professor do Instituto de História da Universidade Federal de Uberlândia (UFU), onde atua nos cursos de graduação, de pós-graduação e no Mestrado Profissional em Ensino de História (ProfHistória). Autor, entre outros livros, de Heroísmo na singradura dos mares: histórias de naufrágios e epopeias nas conquistas ultramarinas portuguesas. São Paulo: Paco, 2018. 

Referências

AGAMBEN, Giorgio. O que resta de Auschwitz. São Paulo: Boitempo, 2008.

ALIGHIERI, Dante. A divina comédia. Belo Horizonte: Garnier, 2019.

ARISTÓTELES. Retórica. São Paulo: Edipro, 2011.

BALDASSO, Franco Baldasso. The other as the judge: testimony and rhetoric in Primo Levi’s Se questo è un uomo. MLN, v. 128, n. 1, Baltimore, 2013.

BLOCH, Marc. Apologia da História ou O ofício do historiador. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2001.

BOITANI, Piero. A sombra de Ulisses. São Paulo: Perspectiva, 2005.

BORGES, Jorge Luis. Nove ensaios dantescos & A memória de Shakespeare. São Paulo: Companhia das Letras, 2011.

CALDAS, Pedro Spinola Pereira. O espelho deformante: um estudo sobre “É isto um homem?”, de Primo Levi. In: CHARBEL, Felipe, GUSMÃO, Henrique Buarque de e MELLO, Luiza Larangeira da Silva (orgs.). As formas do romance: estudos sobre a historicidade da literatura. Rio de Janeiro: Ponteio, 2016.

CALDAS, Pedro Spinola Pereira. Variações experimentais: um estudo sobre a narrativa em A trégua, de Primo Levi. Viso: Cadernos de Estética Aplicada, v. IX, n. 17, Niterói, 2015.
CALVINO, Ítalo. Se um viajante numa noite de inverno. São Paulo: Companhia das Letras, 1999.

CAMUS, Albert. A peste. Rio de Janeiro: Record, 2020.

FARGE, Arlette. Lugares para a história. Belo Horizonte: Autêntica, 2011.

GAGNEBIN, Jeanne Marie. Lembrar, escrever, esquecer. São Paulo: Editora 34, 2006.

HARTOG, François. A história de Homero a Santo Agostinho. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2001.

KEHL, Maria Rita. O sexo, a morte, a mãe e o mal. In: NESTROVSKI, Arthur e SELIGMANN-SIIVA, Márcio (orgs.). Catástrofe e representação: ensaio. São Paulo: Escuta, 2000.

KLÜGER, Ruth. Paisagens da memória: autobiografia de uma sobrevivente do Holocausto. São Paulo: Editora 34, 2005.

LEOPARDI, Giacomo. Canti. Introduzione e note di Franco Brioschi. Milano: Biblioteca Universale Rizzoli, 1974.

LEVI, Fabio e SCARPA, Domenico. Uma testemunha e a verdade. In: LEVI, Primo. Assim foi Auschwitz: testemunhos 1945-1986. São Paulo: Companhia das Letras, 2015.

LEVI, Primo. A trégua. São Paulo: Companhia de Bolso, 2010.

LEVI, Primo. É isto um homem? Rio de Janeiro: Rocco, 1988.

LEVI, Primo. Mil sóis: poemas escolhidos. São Paulo: Todavia, 2019.

LEVI, Primo. Os afogados e os sobreviventes. São Paulo-Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2016.

MARQUES, Luiz Vasari e a superação da Antiguidade: do Nec Plus Ultra ao Plus Ultra. In: RAGAZZI, Alexandre et al. (orgs.). Interdisciplinaridade sobre o Renascimento italiano. São Paulo: Editora Unifesp, 2017.

PERON, Sabrina. Dante ad Auschwitz: la poetica di Dante nell’opera di Primo Levi. Itinera, n. 3, Milano, 2012.

SARLO, Beatriz. Tempo passado: cultura da memória e guinada subjetiva. São Paulo-Belo Horizonte: Companhia das Letras/Editora da UFMG, 2007.

SEGULA, Prosenc Irena. "In viaggio verso il nulla”: elementi mitologici del viaggio in Se questo è un uomo e ne I sommersi e i salvati di Primo Levi. Acta Neophilologica, v. 43, n. 1-2, Liubliana, 2010.

SELIGMANN-SILVA, Márcio. A história como trauma. In: NESTROVSKI, Arthur e SELIGMANN-SIIVA, Márcio (orgs.). Catástrofe e representação: ensaio. São Paulo: Escuta, 2000.

SELIGMANN-SILVA, Márcio. Apresentação da questão: a literatura do trauma. In: SELIGMANN-SILVA, Márcio (org.). História, memória, literatura: o testemunho na Era das Catástrofes. Campinas: Editora da Unicamp, 2003.

SELIGMANN-SILVA, Márcio. Auschwitz: história e memória. Pro-Posições, v. 1, n. 5, Campinas, 2000.

SELIGMANN-SILVA, Márcio. Narrar o trauma: escrituras híbridas das catástrofes. Gragoatá, n. 24, Niterói, 2008.

SELLIGMANN-SILVA, Márcio. O local da diferença: ensaios sobre memória, arte, literatura e tradução. São Paulo: Editora 34, 2005.

VERNANT, Jean-Pierre. A morte nos olhos – figurações do outro na Grécia antiga: Ártemis, Gorgó. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1988.

WELLS, H. G. O homem invisível. Rio de Janeiro: Zahar, 2019.

Downloads

Publicado

2021-06-23

Como Citar

Vinicius do Amaral Felipe, C. . (2021). O canto de Ulisses: as (im)possibilidades da narrativa em Primo Levi . Artcultura, 23(42), 133–153. https://doi.org/10.14393/artc-v23-n42-2021-61856

Edição

Seção

Dossiê: História social da literatura