A obra-prima impossível: uma leitura do tema da idealização e fracasso na arte

Autores

  • Andrei Fernando Ferreira Lima

DOI:

https://doi.org/10.14393/artc-v20-n37-2018-47248

Resumo

No discurso literário do século XIX, a idealização surge como um tema e um tópico metapoético capaz de ensejar importante reflexão sobre o sentido da criação artística, seus desafios e limites, bem como sobre as relações retóricas entre realidade e representação. Nesse contexto, diversas narrativas se ocupam do assunto, sendo uma das mais célebres A obra-prima ignorada (1831), de Honoré de Balzac, que toma a pintura como referencial para desenvolver uma representação emblemática do artista empenhado em uma busca obsessiva pela perfeição, estabelecendo certas perspectivas que se aproximam. Neste artigo, veremos, então, a partir da elaboração balzaquiana, como outros textos, a exemplo de A Madona do futuro (1873), de Henry James, e do relato “Paolo Uccello”, do livro Vidas imaginárias (1896), de Marcel Schwob, se inserem nessa dinâmica e que implicações conceituais e formais trazem à linguagem e ao imaginário.

palavras-chave: idealização; arte; narrativa.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Andrei Fernando Ferreira Lima

Mestre em Letras e doutorando do Programa de Pós-Graduação em Estudos Linguísticos, Literários e Tradutológicos em Francês na Universidade de São Paulo (USP).

Downloads

Publicado

2018-12-12

Como Citar

Lima, A. F. F. (2018). A obra-prima impossível: uma leitura do tema da idealização e fracasso na arte. Artcultura, 20(37), 171–191. https://doi.org/10.14393/artc-v20-n37-2018-47248

Edição

Seção

Artigos