"Todos os rios levam a sua boca"

migração e poesia em José Leonilson

Autores

DOI:

https://doi.org/10.14393/TES-v0n0-2021-60666

Palavras-chave:

Memória, Migração, Nomadismo, Poesia, José Leonilson

Resumo

Em um convite à viagem, este ensaio procura pensar o nomadismo inquieto de José Leonilson, e como suas relações de enraizamento ou deslocamentos com o espaço produziam sentidos de pertencimento e habitavam suas obras poéticas em constante movimentação entre o dentro e o fora, geografias afetivas e corporais, realidades e ficções. Para isso, o norte será pensar o porquê de sua única obra a céu aberto se encontrar em sua cidade natal, o sul os movimentos de pessoas e de linguagens, para a tentativa de entendimento do Nordeste como lugar de falta, revolta ou saudade, e as geografias enquanto cartografias pessoais e corporais, até se chegar ao leste, onde o “quarto de costura” será visto como paradigma e, a oeste, um amontoado de cadernos de viagens que carregam impulsos estéticos e experimentos de vida, pessoas, impressões e sonhos que fazem Leonilson querer carregar o mundo nas costas, ou, ao menos, em suas obras. Cidadão do mundo, fazia da sua arte sua bagagem.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Marina Baltazar Mattos, Universidade Federal de Minas Gerais

Mestranda pelo Programa de Pós-Graduação em Letras: Estudos Literários da UFMG. Bolsista do CNPq – Brasil. marinagmattos@gmail.com

Gustavo Silveira Ribeiro

Professor de Literatura  Brasileira  da  Faculdade  de  Letras  da UFMG. Publicou, entre outros, os livros Antevéspera, noite interior (Macondo Edições 2018) [sobre a poesia de Age de Carvalho]; Poesia Contemporânea: Reconfigurações do sensível (Quixote + Do Editoras Associadas) e Toda a Orfandade do Mundo:  Escritos sobre Roberto Bolaño (Relicário Edições 2016).  Desenvolve atualmente projeto de pesquisa sobre as relações que certa poesia brasileira do presente mantém com a obra de Pier Paolo Pasolini.

Referências

ACHUGAR, Hugo. “O lugar da memória: a propósito de monumentos (motivos e parênteses)”. In: Planetas sem boca: escritos efêmeros sobre arte, cultura e literatura. Trad. Lyslei Nascimento. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2006.

ALBUQUERQUE JÚNIOR, Durval Muniz de. A invenção do nordeste e outras artes. São Paulo: Cortez, 2011.

BENJAMIN, Walter. Magia e técnica, arte e política: ensaios sobre literatura e história da cultura. Trad. Sérgio Paulo Rouanet. São Paulo: Brasiliense, 2012.

LAGNADO, Lisette. Leonilson: são tantas as verdades = so many are the truths. 3ª ed. São Paulo: DBA Artes Gráficas: Projeto Leonilson, 2019.

PEDROSA, Adriano. Leonilson: Truth, fiction. Rio de Janeiro: Cobogó, 2014.

RIBEIRO, Gustavo Silveira. “O desejo é um lago azul: Leonilson, a imagem e o poema”. In: E-Lyra n. 13, 2019, p. 31-46. Disponível em: https://elyra.org/index.php/elyra/article/view/279 Acesso em: 25 fev 2021.

SALAZAR, Jussara. Fia. São Paulo: Selo Demônio Negro, 2016.

SANTOS, Milton. A Natureza do Espaço: Técnica e Tempo, Razão e Emoção. São Paulo: Edusp, 2017.

SAYAD, Abdelmalek. Imigração. São Paulo: Edusp, 1998.

VASCONCELOS, Tania. A arte pública de Fortaleza. Fortaleza: Santa Marta, 2003.

Downloads

Publicado

2021-07-31

Como Citar

BALTAZAR MATTOS, M.; SILVEIRA RIBEIRO, G. "Todos os rios levam a sua boca": migração e poesia em José Leonilson. Téssera, [S. l.], p. 100–118, 2021. DOI: 10.14393/TES-v0n0-2021-60666. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/tessera/article/view/60666. Acesso em: 24 set. 2022.