Roma nas elegias romanas de Gabriele D’annunzio

Autores

DOI:

https://doi.org/10.14393/TES-v3n1-2020-57119

Palavras-chave:

Roma, Elegias Romanas, Il piacere, Gabriele D’Annunzio

Resumo

Nenhum artista italiano descreveu Roma como o romancista, poeta, dramaturgo, jornalista, roteirista e soldado italiano Gabriele D’Annunzio (1863-1938). Antes mesmo de pisar em solo romano, em 1881, ele já conhecia suas ruas, atmosferas, obras de arte, as pessoas em movimento e as suas faces; de certa forma, Roma lhe era familiar graças à leitura de autores considerados como seus mestres, italianos e, principalmente, latinos. Ninguém a celebrou com tanto amor, com tanta devoção e com tanta arte como ele. Roma é um topos, uma nota dominante em sua obra, o desenho imortal de suas tessituras ideais, o sonho significativo de todas as suas visões que ele atravessa como o flanêur benjaminiano. O presente artigo propõe uma leitura entrecruzada de algumas descrições de Roma em Elegie Romane (Elegias Romanas) e em Il Piacere (O prazer).

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ALVES, J. P. M. Elegias de Tibulo: tradução e comentários. 2014. 294 f. Tese (Doutorado, Programa de Pós-graduação em Letras) – Faculdade de Letras, Universidade Federal do Espírito Santo, Vitória, 2014. Disponível em: http://repositorio.ufes.br/bitstream/10/3174/1/ tese_8248_Jo%C3%A3o%20Paulo%20Matedi%20-%20arquivo%20completo.pdf. Acesso em: 1 set. 2020.

AMIEL, H-F. Fragments d’un journal intime. Genève-Paris: Georg et Cie., 1922.

ARDUINI, S.; DAMIANI, M. Dizionario di rettorica. Covilhã: Livros LabCom, 2010.

CORBOZ, A. Ordine sparso: saggi sull’arte, il metodo, la città e il territorio. Milano: Franco Angeli, 1998.

D’ANNUNZIO, G. Il piacere. Napoli: Le Parche Edizioni, 2016.

______. Laudi del cielo, del mare, della terra,e degli eroi: Elettra, v. II. Milano: Fratelli Treves Editori, 1908.

_____. Elegie romane 1887-1891. 1 ed. Bologna: Nicola Zanichelli, 1892.

GOMBRICH, E. H. Arte e ilusão: um estudo da psicologia da representação pictórica. Trad. Raul de Sá Barbosa. São Paulo: Martins Fontes, 2007.

LEACH, E. W. The rhetoric of space: literary and artistic representations of landscape in Republican and Augustan Rome. Princeton: Princeton University Press, 1988.

LOMBARDI, L. Il paesaggio “stato d’animo” nella seconda metà del XIX secolo: verso una “georgica dello spirito”. In: SISI, C. (org.). La pittura di paesaggio in Italia: l’Ottocento. Milano: Electa, 2003, p. 63–75.

MAZZAROTTO, B. T. Le arti figurative nell’arte di Gabriele D’Annunzio. Milano: Fratelli Bocca Editori, 1949.

NENCIONI, E. Poete e poetesse: nuovi volumi di versi italiani. Nuova Antologia di Scienza, Lettere ed Arti. v. XXXXV, 3ª serie. Roma: Direzione della Nuova Antologia, 1893, p. 381-412.

PASTORE, R. Catullo, Tibullo e Properzio di espurgate lezioni ad uso della gioventù studiosa. V. II. Milano: Giovanni Silvestri, 1837.

PEREC, G. Specie di spazi. Trad. Roberta Delbono. Torino: Bollati Boringhieri,1989.

SOUZA, L. S. Bi-tradução do livro primeiro dos Amores de Ovídio: reflexões sobre dois modos de verter o dístico elegíaco. 2016. 211 f. Dissertação (Mestrado, programa de Pós-graduação em Letras) – Faculdade de Letras, Universidade Federal do Paraná, Curitiba, 2016. Disponível em: https://acervodigital.ufpr.br/bitstream/handle/1884/43537/R%20-%20D%20-%20LUIZA%20DOS%20SANTOS%20SOUZA.pdf?sequence=3&isAllowed=y. Acesso em: 1 set. 2020.

Downloads

Publicado

2020-12-02

Como Citar

DALLA BONA, F. Roma nas elegias romanas de Gabriele D’annunzio. Téssera, [S. l.], v. 3, n. 1, p. 26–45, 2020. DOI: 10.14393/TES-v3n1-2020-57119. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/tessera/article/view/57119. Acesso em: 28 maio. 2022.