Maria Moura e Marialva

Escuridão e Luminosidade?

Autores

  • Bianca Matos Barros Universidade Federal de Rio grande
  • Mairim Linck Piva Universidade Federal do Rio Grande

DOI:

https://doi.org/10.14393/TES-v2n2-2020-53933

Palavras-chave:

Memorial de Maria Moura, Rachel de Queiroz, Literatura Brasileira

Resumo

O artigo intenta analisar as representações femininas na obra Memorial de Maria Moura, de Rachel de Queiroz. O livro, lançado em 1992, centra-se na narrativa de Maria Moura, personagem do século XIX. A obra apresenta diferentes vozes narrativas, Maria Moura e a personagem Marialva são duas dentre essas diversas instâncias, que, no entanto, tornam-se as mais significativas. Para a análise desses vozes e figuras femininas, busca-se apoio nas perspectivas de análises simbólicas que colaboram para o desvelamento dos múltiplos significados da representação feminina.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

BEAVOIR, Simone de. O segundo sexo: fatos e mitos. Tradução de Sérgio Millet. São Paulo: Difusão Europeia do Livro, 1970.

CHEVALIER, Jean; GHEERBRANT. Alain. Dicionário de símbolos: mitos, sonhos, costumes, gestos, figuras, cores, números. Tradução de Vera de Sá Costa e Silva. Rio de Janeiro: J. Olympio, 2016.

DURAND, Gilbert. A fé do sapateiro. Tradução de Hélder Godinho. Brasília: Editora da Universidade de Brasília, 1996.

DURAND, Gilbert. O imaginário: ensaio acerca das ciências e da filosofia da imagem. Tradução de Renée EveLevié. São Paulo: Cultrix; Editora da Universidade de São Paulo, 1998.

Downloads

Publicado

2020-06-24

Como Citar

BARROS, B. M.; LINCK PIVA, M. Maria Moura e Marialva: Escuridão e Luminosidade?. Téssera, [S. l.], v. 2, n. 2, p. 39–50, 2020. DOI: 10.14393/TES-v2n2-2020-53933. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/tessera/article/view/53933. Acesso em: 26 maio. 2022.

Edição

Seção

Artigos