Representações da maternidade em Poemas da recordação e outros movimentos, de Conceição Evaristo

Uma análise pela teoria do imaginário

Autores

  • Ariel Oliveira Leite de Souza Universidade Federal do Rio Grande

DOI:

https://doi.org/10.14393/TES-v2n2-2020-53470

Palavras-chave:

Escrevivência, Conceição Evaristo, Literatura afro-brasileira, Maternidade, Teoria do imaginário

Resumo

O presente ensaio propõe a análise das representações da maternidade na obra Poemas da recordação e outros movimentos (2017), de Conceição Evaristo, a partir da teoria do imaginário. Para isso, foram selecionados três poemas: “Filhos na rua”, “Eu-mulher” e “Bendito o sangue de nosso ventre”. Nestes, a simbologia da maternidade é explorada a partir dos arquétipos dos elementos materiais: fogo, água, ar e terra, conforme estabelecido por Gaston Bachelard. Além disso, tendo em vista a escrevivência proposta pela poeta, este ensaio extrapola as noções do imaginário, cruzando a análise das imagens poéticas com uma discussão sócio-histórica sobre as referidas representações.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

BACHELARD, Gaston. A água e os sonhos: ensaios sobre a imaginação da matéria. Tradução Antonio de Pádua Danesi. São Paulo: Martins Fontes, 1997.

BACHELARD, Gaston. O ar e os sonhos: ensaio sobre a imaginação do movimento. Tradução de Antonio de Pádua Danesi. 2.ed. São Paulo: Martins Fontes, 2001.

BACHELARD, Gaston. A terra e os devaneios do repouso. Tradução Paulo Neves. 2. ed. São Paulo: Martins Fontes, 2003.

BACHELARD, Gaston. A poética do devaneio. Tradução Antonio de Pádua Danesi. 2. Ed. São Paulo: Martins Fontes, 2006.

BARTHES, Roland. Elementos de semiologia. Tradução Izidoro Bliksteim; São Paulo: Cultrix, 1971.

CHEVALIER, Jean; GHEERBRANT, Alain. Dicionário de símbolos: mitos, sonhos, costumes, gestos, formas, figuras, cores, números. Tradução Vera da Costa. 5. ed. Rio de Janeiro: José Olympio, 1991.

DUARTE, Eduardo de Assis. Mulheres marcadas: literatura, gênero, etnicidade. Terra roxa e outras terras – Revista de estudos literários, Paraná, v. 17, p. 6-18, dez. 2009.

EVARISTO, Conceição. Da representação à auto-representação da mulher negra na literatura brasileira. Revista Palmares: cultura afro-brasileira, Brasília, ano I, nº 1, ago. 2005. p. 52-57.

EVARISTO, Conceição. Gênero e etnia: uma escre(vivência) de dupla face. In: MOREIRA, Nadilza Martins de Barros; SCHNEIDER, Liane (Org.). Mulheres no mundo: etnia, marginalidade e diáspora. João Pessoa: Ed. Universitária, 2005. p. 201-212

EVARISTO, Conceição. Da grafia-desenho da minha mãe, um dos lugares de nascimento de minha escrita. In: ALEXANDRE, Marcos Antônio (Org.). Representações performáticas brasileiras: teorias, práticas e suas interfaces. Belo Horizonte, MG: Mazza, 2007. p. 16-21.

EVARISTO, Conceição. Poemas da recordação e outros movimentos. Rio de Janeiro: Malê, 2017.

FELICIO, Vera Lucia G. A imaginação simbólica dos Quatro Elementos Bachelardianos. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, 1994.

GONZALES, Lélia. Racismo e sexismo na cultura brasileira. Revista Ciências Sociais Hoje, São Paulo, 1984, p. 223-244.

JUNG, Carl Gustav. Os arquétipos e o inconsciente coletivo. Tradução Maria Luíza Appy, Dora Mariana R. Ferreira da Silva. 2. ed. Rio de Janeiro: Vozes, 2000.

RONCADOR, Sonia. O mito da mãe preta no imaginário literário de raça e mestiçagem cultural. Estudos de Literatura Brasileira Contemporânea, Brasília, n. 31, 2008. p. 129-152.

Downloads

Publicado

2020-06-23

Como Citar

OLIVEIRA LEITE DE SOUZA, A. Representações da maternidade em Poemas da recordação e outros movimentos, de Conceição Evaristo: Uma análise pela teoria do imaginário. Téssera, [S. l.], v. 2, n. 2, p. 5–18, 2020. DOI: 10.14393/TES-v2n2-2020-53470. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/tessera/article/view/53470. Acesso em: 3 dez. 2022.

Edição

Seção

Artigos