Figurações da voragem em Duas Iguais (1998), de Cíntia Moscovich

Autores

  • Gabriel Silveira Martins Universidade Federal do Rio Grande - FURG

DOI:

https://doi.org/10.14393/TES-v1n2-2019-48324

Palavras-chave:

Literatura e imaginário, Literatura intimista, Autoria feminina sul-rio-grandense

Resumo

O presente artigo busca explorar a temática da voragem na obra Duas iguais (1998), da escritora sul-rio-grandense Cíntia Moscovich (1958 –). Tomando a voragem como símbolo central da narrativa de Moscovich, buscamos identificar os diferentes elementos (alimentos, ritos de preparação, refeições, aromas etc.) presentes ao longo da trama e os modos pelos quais estabelecem vínculos com as diferentes relações entre a narradora-personagem Clara e os demais personagens da obra. De imediato, identificamos três diferentes polos em que o imaginário da comida aparece com significações distintas: no espaço familiar, na vida ao lado do marido e nas descrições da personagem Ana, com quem a protagonista vive um secreto caso de amor. Por fim, reforçamos a intrincada relação entre linguagem poética e discussão ética como um dos elementos de destaque da obra de Moscovich.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

BACHELARD, G. A poética do devaneio. São Paulo: Martins Fontes, 2006.

CHEVALIER, J; GHEERBRANT, A. Diccionario de los símbolos. Barcelona: Hereder Editorial, 2007.

DURAND, G. A imaginação simbólica. São Paulo: Cultrix, Editora da Universidade de São Paulo, 1988.

______. As estruturas antropológicas do imaginário. 3ª ed. São Paulo: Martins Fontes, 2002.

FERREIRA, A. B. H. Mini Aurélio: o dicionário da língua portuguesa. 8. ed. Curitiba: Positivo, 2010.

MOSCOVICH, C. O reino das cebolas. Contos & narrativas. Porto Alegre: L&PM, 1996.

______. Duas iguais. Manual de amores e equívocos assemelhados. Porto Alegre: LP&M, 1998.

______. Anotações durante o incêndio. Porto Alegre: L&PM, 2001.

______. Por que sou gorda, mamãe. Rio de Janeiro: Record, 2006.

PARKER, R. G. Corpos, prazeres e paixões: a cultura sexual no Brasil contemporâneo. São Paulo: Editora Best Seller, 1991.

PAZ, O. A dupla chama: o amor e o erotismo. São Paulo: Siciliano, 1994. https://doi.org/10.1021/ja00101a082

QUEIROZ, M. J. A Literatura e o gozo impuro da Comida. Rio de Janeiro: Topbooks, 1994.

SCLIAR, M. Judaísmo: dispersão e unidade. São Paulo: Ática, 2001.

SILVA, V. G.; SANTOS, J. Resistência e renovação: a escrita e a comida em Cíntia Moscovich. Arquivo Maaravi: Revista Digital de Estudos Judaicos da UFMG. Belo Horizonte, v. 2, n. 3, out. 2008. ISSN: 1982-3053. Disponível em: < http://www.periodicos.letras.ufmg.br/index.php/maaravi/article/view/1640>. Acesso 01 fev. 2019. https://doi.org/10.17851/1982-3053.2.3.92-98

Downloads

Publicado

2019-07-09

Como Citar

MARTINS, G. S. Figurações da voragem em Duas Iguais (1998), de Cíntia Moscovich. Téssera, [S. l.], v. 1, n. 2, p. 72–85, 2019. DOI: 10.14393/TES-v1n2-2019-48324. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/tessera/article/view/48324. Acesso em: 26 nov. 2022.

Edição

Seção

Artigos