DISTRIBUIÇÃO BIOGEOGRÁFICA DA OCORRENCIA DE ACIDENTES PROVOCADOS POR LAGARTAS DO GÊNERO LONOMIA, NO BRASIL, NO PER͍ODO DE 2000 A 2007

Autores

  • Thiago Salomão de Azevedo Faculdades Integradas Claretianas de Rio Claro -SP

Palavras-chave:

Biogeografia, Lagartas, Lonomia, Brasil

Resumo

As queimaduras causadas pelo contato com lagartas do gênero Lonomia, foi descrita pela primeira no Brasil em 1986. A partir de 1989, estes acidentes assumem dimensões epidêmicas nos Estados de Santa Catariana e Rio Grande do Sul. Nos últimos anos, nota-se o aumento dos casos, verificando-se a tendência de expansão para outras áreas do país. Assim, o objetivo deste trabalho é efetuar o mapeamento dos acidentes provocados pela lagarta do gênero Lonomia, no Brasil, no período de 2000 a 2007, utilizando sistemas de informação geográfica. Os resultados mostram que a Região Sul do país apresenta a maior freqüência de acidentes com este tipo de taturana. Contudo nota-se que a ocorrência deste tipo de agravo está aumentando, pois acidentes estão ocorrendo nas outras regiões do país. Sabe-se que os acidentes nos Estados de Santa Catarina, Rio Grande do Sul, Paraná e São Paulo são causados principalmente pela Lonomia obliqua, Periga circunstans, Periga falcata e Periga gueneei. Nos Estados da Bahia e Espírito Santo os agravos são acometidos pelas espécies Lonomia obliqua e Periga insidiosa. Já nos Estados do Pará, Mato Grosso e Goiás são encontradas a Lonomia obliqua, Lonomia descimoni, Lonomia achelous, Periga insidiosa, Periga angulosa, Periga cynira, Periga gueneei.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Thiago Salomão de Azevedo, Faculdades Integradas Claretianas de Rio Claro -SP

Ecólogo, Doutor em Geografia pela Unesp

Downloads

Publicado

2011-12-20

Como Citar

DE AZEVEDO, T. S. DISTRIBUIÇÃO BIOGEOGRÁFICA DA OCORRENCIA DE ACIDENTES PROVOCADOS POR LAGARTAS DO GÊNERO LONOMIA, NO BRASIL, NO PER͍ODO DE 2000 A 2007. Hygeia - Revista Brasileira de Geografia Médica e da Saúde, [S. l.], v. 7, n. 13, 2011. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/hygeia/article/view/17041. Acesso em: 11 ago. 2022.

Edição

Seção

Artigos