Autoridade local e o genocídio de Ruanda de 1994: O caso do Burgomestre Jean-Paul Akayesu

Autores

  • Danilo Ferreira da Fonseca

DOI:

https://doi.org/10.14393/HeP-v31n59p155-167

Palavras-chave:

Ruanda, Genocídio, Akayesu

Resumo

O presente artigo visa refletir acerca do lugar que os políticos ruandeses vinculados às pequenas administrações locais, principalmente às comunas, possuíram frente à organização e à execução do genocídio de Ruanda em 1994. Para tal, construímos uma análise a partir de um estudo de caso vinculado ao Burgomestre Jean-Paul Akayesu, o qual administrava a Comuna de Taba (prefeitura de Gitarama) no período anterior e durante o genocídio. A análise é construída principalmente a partir do documento produzido pela Tribunal Penal Internacional para Ruanda (ICTR, da sigla em inglês) intitulado The prosecutor versus Jean-Paul Akayesu – Case No. ICTR-96- 4-T, de 1998. Desta forma, busca-se dimensionar também os efeitos nefastos que o colonialismo belga realizou em um processo de colonização mental.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Danilo Ferreira da Fonseca

Professor da Universidade Estadual do Centro-Oeste (Paraná), lotado no Departamento de História do Campus de Irati/PR. É Doutor em História Social pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP), com a tese Etnicidade e lutas de classe na África contemporânea: o África do Sul (1948 – 1994) e Ruanda (1959 – 1994).

Downloads

Publicado

2019-06-24

Como Citar

FONSECA, D. F. da. Autoridade local e o genocídio de Ruanda de 1994: O caso do Burgomestre Jean-Paul Akayesu. Revista História & Perspectivas, [S. l.], v. 31, n. 59, p. 155–167, 2019. DOI: 10.14393/HeP-v31n59p155-167. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/historiaperspectivas/article/view/49371. Acesso em: 3 fev. 2023.