Tirania em Marcha ou "Lucta" contra a dictadura partidos políticos, história e governo no Brasil (1932-1934)

Autores

  • Antonio Manoel Elíbio

Resumo

Em 1932, partindo de São Paulo, eclodiu a Revolução Constitucionalista que se espraiou até o Rio Grande do Sul. José Antônio Flores da Cunha, Interventor Federal do Rio Grande do Sul, engendrou uma série de estratégias procurando assegurar seu predomínio político no estado combatendo os dissidentes e opositores do Governo Federal. Todavia, as lideranças políticas do Partido Republicano Riograndense e do Partido Libertador, arregimentadas na Frente Única Gaúcha, não cessaram as articulações contra o situacionismo político regional. Esse artigo analisa as intrigas políticas no cenário nacional e estadual e a recomposição das forças políticas entre os anos de 1932 e 1934.

PALAVRAS-CHAVE: Revolução Constitucionalista. Constituição de 1934. Rio Grande do Sul.

ABSTRACT: In 1932, starting from São Paulo, the Constitutionalist Revolution erupted spreading itself all the way to Rio Grande do Sul. José Antônio Flores da Cunha, federal intervenor of Rio Grande do Sul, designed a set of strategies seeking to assure his political power in the state fighting the opposers and traitors of the Federal Government. Nonetheless, the political leaderships of both the Riograndense Republican Party and the Liberator Party, united in the Frente Única Gaúcha, did not cease their articulations against the regional political situationism. This article analyses the political intrigues in the national and state sceneries and the regrouping of the political powers between the years of 1932 and 1934.

KEYWORDS: Constitutionalist Revolution. 1934 Constitution. Rio Grande do Sul.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2009-08-17

Como Citar

ELÍBIO, A. M. Tirania em Marcha ou "Lucta" contra a dictadura partidos políticos, história e governo no Brasil (1932-1934). Revista História & Perspectivas, [S. l.], v. 1, n. 39, 2009. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/historiaperspectivas/article/view/19197. Acesso em: 3 dez. 2022.

Edição

Seção

Artigos