TERRITÓRIO ALIMENTAR EM DISPUTA: A CONSTITUIÇÃO DE DESERTOS E PÂNTANOS ALIMENTARES A PARTIR DA LÓGICA DE DISTRIBUIÇÃO DE ULTRAPROCESSADOS

Autores

  • Mateus Luciani dos Santos Universidade Federal do Paraná, Departamento de Geografia
  • Pedro Augusto Breda Fontão Universidade Federal do Paraná, Departamento de Geografia

DOI:

https://doi.org/10.14393/Hygeia64154

Palavras-chave:

Direito Humano à Alimentação Saudável (DHAA), Desertos e pântanos alimentares, Política Nacional de Alimentação, Território e saúde, Saúde alimentar

Resumo

O objetivo deste artigo é discutir as dualidades entre o sistema alimentar moderno, vinculado à produção de alimentos ultraprocessados por grandes corporações ligadas à alimentação, em oposição ao modelo tradicional, vinculado a produtos in natura com qualidade nutricional. Busca-se compreender as políticas do estado brasileiro quanto à garantia do direito humano à alimentação saudável (DHAA). Metodologicamente o artigo é construído a partir de uma revisão sistemática da literatura, utilizando bases Miltonianas como a de Saquet e Silva (2008) e Abrão (2010) para a compreensão do problema proposto. O resultado encontrado pelo estudo é que a capacidade de articulação da grande indústria alimentícia promove um território alimentar que está em uma disputa perene, especialmente devido ao amplo poder da grande indústria de se perpetuar pelo território inserindo seus produtos. Conclui-se portanto que o estado brasileiro dispõe de um arcabouço legislativo com intuito de garantir o DHAA. Entretanto, por fatores vinculados ao ambiente político e ao próprio interesse dos grandes grupos alimentares, as políticas públicas não são colocadas em prática de sua forma completa. O combate a esses problemas deve ser pautado politicamente, dessa forma podemos utilizar a dinâmica territorial do Sistema Único de Saúde (SUS) para solucionar esse problema.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Mateus Luciani dos Santos, Universidade Federal do Paraná, Departamento de Geografia

Discente de graduação de Geografia pela Universidade Federal do Paraná (UFPR) e Comércio Exterior (PUC-Minas). É integrante do projeto residência pedagógica, vinculado ao Departamento de Geografia (UFPR), com supervisão do Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES). Anteriormente foi pesquisador de iniciação científica no Grupo de Pesquisa em Ciência, Informação e Tecnologia e já estagiou na Supervisão de Disseminação de Informações (SDI) do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) no Paraná.

Pedro Augusto Breda Fontão, Universidade Federal do Paraná, Departamento de Geografia

Pedro Augusto Breda Fontão é, desde 2010, Licenciado em Geografia pela Universidade Estadual Paulista (IGCE/UNESP campus Rio Claro) e, desde 2012, Bacharel em Geografia, com ênfase em Análise Ambiental e Geoprocessamento, pela mesma instituição. Em 2014, defendeu sua Dissertação de Mestrado pelo Programa de Pós-Graduação em Geografia no Instituto de Geociências e Ciências Exatas da UNESP, recebendo o título de Mestre em Organização do Espaço, e no ano de 2018 defendeu o Doutorado em Geografia pela mesma instituição. Atualmente, é Professor Adjunto no Departamento de Geografia do Setor de Ciências da Terra (CT/DGEOG) da Universidade Federal do Paraná (UFPR). Possui experiência didática e científica na área de Geografia, com ênfase em Geografia Física, Análise Ambiental e Climatologia, atuando principalmente nos seguintes temas: climatologia dinâmica, eventos extremos, variabilidade pluvial, análise ambiental, geoprocessamento e educação.

Downloads

Publicado

2022-02-18

Como Citar

DOS SANTOS, M. L.; FONTÃO, P. A. B. TERRITÓRIO ALIMENTAR EM DISPUTA: A CONSTITUIÇÃO DE DESERTOS E PÂNTANOS ALIMENTARES A PARTIR DA LÓGICA DE DISTRIBUIÇÃO DE ULTRAPROCESSADOS. Hygeia - Revista Brasileira de Geografia Médica e da Saúde, [S. l.], p. 34–45, 2022. DOI: 10.14393/Hygeia64154. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/hygeia/article/view/64154. Acesso em: 15 ago. 2022.