PRÁTICAS DO CUIDADO DE SI NA PREVENÇÃO DAS IST REALIZADAS POR TRAVESTIS E MULHERES TRANSEXUAIS, EM CURITIBA E PONTA GROSSA, PARANÁ

Autores

  • Ramon de Oliveira Bieco Braga Universidade Estadual de Ponta Grossa
  • Marcio José Ornat Universidade Estadual de Ponta Grossa

DOI:

https://doi.org/10.14393/Hygeia64019

Palavras-chave:

Cuidado de Si, Travestilidades, Transexualidades

Resumo

Nesta pesquisa problematizamos ‘quais são as práticas do cuidado de si executadas por travestis e mulheres transexuais, na prevenção das Infecções Sexualmente Transmissíveis (IST), nos municípios de Curitiba e Ponta Grossa, Paraná?’. Para responder à questão central, utilizamos a técnica de coleta de dados entrevista semiestruturada e entrevistamos 20 pessoas que se auto identificam como travestis e mulheres transexuais, nos municípios de Curitiba e Ponta Grossa, Paraná. Estas entrevistas ocorreram com base na técnica estatística de amostragem Snowball (GOODMAN, 1961) e foram analisadas com base na técnica de análise de discurso (BARDIN, [1977] 2016). Com base na literatura Queer e nas reflexões das Geografias das Sexualidades, compreendemos que o uso de preservativo e a realização de exames, são práticas do cuidado de si que compõe a relação saúde e doença dos corpos de travestis e mulheres transexuais. Embora em alguns casos tenha ocorrido a infecção do HIV/AIDS e demais IST, constatou-se que entre o grupo de travestis e mulheres transexuais entrevistadas, a prática do uso de preservativos aliado ao PrEP, se constituem como as práticas do cuidado de si na prevenção das IST.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ramon de Oliveira Bieco Braga, Universidade Estadual de Ponta Grossa

Possui graduação em Licenciatura Plena em Geografia pelo Centro Universitário Campos de Andrade (UNIANDRADE, 2012), graduação em Bacharelado em Geografia pela Universidade Federal do Paraná (UFPR, 2018), especialização em Análise Ambiental pela Universidade Federal do Paraná (UFPR, 2013), especialização em Ensino e pesquisa na ciência geográfica pela Universidade Estadual do Centro-Oeste (UNICENTRO, 2016), especialização em Educação a Distância com Ênfase na Formação de Tutores pela Faculdade São Braz (FSB, 2017), especialização em Gestão Escolar pelo Centro Universitário Campos de Andrade (UNIANDRADE, 2018), especialização em Sociologia para o Ensino Médio pela Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG, 2018), especialização em Saúde para professores do Ensino Fundamental e Médio pela Universidade Federal do Paraná (UFPR, 2019), especialização em Gênero e Diversidade Escolar pela Faculdade UNINA (UNINA, 2021), especialização em Educação Especial e Inclusiva pela Faculdade UNINA (UNINA, 2021), mestrado em Geografia na Linha de Pesquisa Paisagem e Análise Ambiental, pela Universidade Federal do Paraná (UFPR, 2015), doutorado em Geografia na Linha de Pesquisa Análises Socioeconômicas e Dinâmicas Regionais e Urbanas, pela Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG, 2020) e pós-doutorado em Educação na Linha de Pesquisa Diversidade, diferença e desigualdade social em Educação, pela Universidade Federal do Paraná (UFPR, 2021). Atualmente é pesquisador do Laboratório de Investigação em Corpo, Gênero e Subjetividade na Educação (CNPq/UFPR), nas Linhas de Pesquisas Corpo, Gênero e Diversidade Sexual na Educação e Corpo, Diferença e Subjetividades Contemporâneas, ambos vinculados a Linha de Pesquisa Diversidade, diferença e desigualdade social em Educação do Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Federal do Paraná (UFPR); e pesquisador do grupo interdisciplinar de Saúde Coletiva e Geografia da Saúde (CNPq/UNIANDRADE), na Linha de Pesquisa Promoção da Saúde e Meio ambiente. Profissionalmente, desde 2009 trabalha como docente de Geografia da Secretaria de Estado de Educação do Paraná (SEEDPR) e, desde 2017, é Professor Titular do Centro Universitário Campos de Andrade (UNIANDRADE). Tem experiência na área de Geografia e Educação, com ênfase em Geografia Humana e Políticas Curriculares, atuando principalmente nos seguintes temas: Currículo Escolar, Educação, gênero e sexualidades, Ensino de Geografia, Geografia da Saúde e Geografias das Sexualidades.

Marcio José Ornat, Universidade Estadual de Ponta Grossa

Pós-Doutor em Geografia e Sexualidades (Universitat Autònoma de Barcelona - 2016); Doutor em Geografia pelo Programa de Pós-Graduação em Geografia (UFRJ - 2011); Mestre em Gestão do Território pelo Programa de Pós-Graduação em Geografia (UEPG - 2008); Licenciado e Bacharel em Geografia (UEPG - 2005); Bacharel em Teologia (Claretiano - 2020). É professor Associado no Departamento de Geociências (UEPG) e do Programa de Pós-Graduação em Geografia (PPGEO - UEPG); É pesquisador do Grupo de Estudos Territoriais (GETE - UEPG), do Grupo de Pesquisa Instrumentações Geotecnológicas (UNICENTRO) e do Mandrágora/Netmal - Grupo de Estudos de Gênero e Religião (Universidade Metodista de São Paulo); compõe a equipe de coordenação da Rede de Estudos de Geografia, Gênero e Sexualidades Ibero Latino-americana - REGGSILA; é coordenador de layout da Revista Latino-americana de Geografia e Gênero. Desenvolve pesquisas que analisam as relações entre: espacialidades, gênero, sexualidades; gênero, sexualidades e religião / espiritualidades; gênero, participação popular e elaboração de planos diretores; cidade, planejamento e gestão urbanos.

Downloads

Publicado

2022-02-18

Como Citar

BRAGA, R. de O. B.; ORNAT, M. J. PRÁTICAS DO CUIDADO DE SI NA PREVENÇÃO DAS IST REALIZADAS POR TRAVESTIS E MULHERES TRANSEXUAIS, EM CURITIBA E PONTA GROSSA, PARANÁ. Hygeia - Revista Brasileira de Geografia Médica e da Saúde, [S. l.], p. 23–33, 2022. DOI: 10.14393/Hygeia64019. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/hygeia/article/view/64019. Acesso em: 20 maio. 2022.