O sertão e as mulheres n'O Quinze de Rachel de Queiroz

Autores

  • Régia Agostinho da Silva Universidade Federal do Maranhão

DOI:

https://doi.org/10.14393/HeP-v31n59p114-127

Palavras-chave:

Sertão, Mulheres, Representação

Resumo

A pretensão deste artigo é discutir as representações do sertão e das mulheres no romance O Quinze, de Rachel de Queiroz. Partindo do conceito de representação de Roger Chartier e da história cultural, procura-se compreender as discussões que Rachel de Queiroz construiu em seu romance, pensando a natureza e as mulheres como personagens ambíguos, entre permanências e rupturas, tradições e modernidades. A natureza pensada como espaço bucólico e de força revitalizadora e, também, como espaço de atraso e primitivismo. As mulheres como vanguardistas e determinadas, mas ainda presas aos pensamentos machistas e misóginos que as cercavam.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Régia Agostinho da Silva, Universidade Federal do Maranhão

Professora do Departamento de História. Doutora em História na USP.

Downloads

Publicado

2019-06-24

Como Citar

SILVA, R. A. da. O sertão e as mulheres n’O Quinze de Rachel de Queiroz. Revista História & Perspectivas, [S. l.], v. 31, n. 59, p. 114–127, 2019. DOI: 10.14393/HeP-v31n59p114-127. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/historiaperspectivas/article/view/40518. Acesso em: 3 fev. 2023.

Edição

Seção

Dossiê: Documentos e abordagens