Rosas rubras e soberbas: O corpo da mulher luso-brasileira na literatura de viagem (séculos XVIII e XIX)

Autores

  • Amilcar Torrão Filho PUC-SP

DOI:

https://doi.org/10.14393/HeP-v31n59p8-21

Palavras-chave:

Viajantes, Literatura de viagem, Mulher, Corpo

Resumo

O corpo feminino foi um dos grandes mistérios para os viajantes europeus que visitaram o Brasil entre os séculos XVIII e XIX. De um lado a mulher branca não correspondia aos ideais clássicos de beleza e recato; por outro, a beleza parecia estar ao lado das mulheres negras ou mulatas. Este artigo pretende rever algumas das imagens criadas pela literatura de viagem sobre a mulher luso-brasileira, revisitando alguns mitos como a ausência de mulheres nos espaços públicos, o ciúme “oriental” de seus pais e maridos, o desleixo das mulheres brancas e a sensualidade das negras e mulatas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2019-06-24

Como Citar

TORRÃO FILHO, A. Rosas rubras e soberbas: O corpo da mulher luso-brasileira na literatura de viagem (séculos XVIII e XIX). Revista História & Perspectivas, [S. l.], v. 31, n. 59, p. 8–21, 2019. DOI: 10.14393/HeP-v31n59p8-21. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/historiaperspectivas/article/view/40440. Acesso em: 9 ago. 2022.

Edição

Seção

Dossiê: Documentos e abordagens