ENTRE O PALHAÇO E O EQUILIBRISTA: VOCABULÁRIOS DE EXPRESSÃO ICONOGRÁFICA DA EMBRIAGUEZ REAPROPRIADOS NO DISCURSO MÉDICO

Autores

  • Daisy de Camargo

Resumo

O viés temático deste artigo é o de versar sobre o trato de um vocabulário de expressão iconográfica do universo da embriaguez e de uma cultura gestual dos hábitos do beber como território repleto de rupturas e permanências. Percebe-se no repertório iconográfico traços de permanências na representação da ebriedade como elemento reconhecível, passando pelas cenas de embriaguez de Noé, dos Bacos de Caravaggio, dos bebedores de absinto de Toulouse-Lautrec e Picasso, que margeiam a sedução da falta de controle do clown e o desafio gravitacional do equilibrista. Essa representação do bêbado bonachão foi reapropriada pelaMedicina e transformada em exemplo da anticonduta.

PALAVRAS-CHAVE: Bebidas alcoólicas. Consumo. Iconografia. Medicina.

ABSTRACT: The theme of the article is the iconographic vocabulary from the world of drunkenness and a sign of the culture of drinking habits as a territory full of ruptures and continuities. It can be seen in iconographic repertoire traces of the continuities in the representation of drunkenness as a recognizable element, passing through scenes of Noah's drunkenness, the Caravaggio's Bacos, Toulouse-Lautrec's and Picasso's drinkers of absinthe, bordering the seduction of the lack of control clown and juggler's gravitational challenge. This representation of the drunk was appropriated by the Medicine and turned into a negative example.

KEYWORDS: Alcohol. Consumption. Iconography. Medicine.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2013-01-24

Como Citar

DE CAMARGO, D. ENTRE O PALHAÇO E O EQUILIBRISTA: VOCABULÁRIOS DE EXPRESSÃO ICONOGRÁFICA DA EMBRIAGUEZ REAPROPRIADOS NO DISCURSO MÉDICO. Revista História & Perspectivas, [S. l.], v. 25, n. 47, 2013. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/historiaperspectivas/article/view/21264. Acesso em: 20 maio. 2022.

Edição

Seção

Dossiê História e Saúde