Frades desviantes: o cotidiano e o conflito dos eclesiásticos nas minas setecentistas (1693-1745)

Autores

  • Renato da Silva Dias

Resumo

O objetivo deste artigo é discutir em que medida parte da historiografia contemporânea reproduz forte representação negativa acerca dos padres que assistiam nas Minas do Ouro, imagem criada desde os tempos idos da Colônia, por memorialistas e agentes da administração régia. Acredita-se que tais representações são, em boa medida, resultado do peso dessa longa tradição historiográfica, bem como da especificidade da documentação produzida pela Secretaria de Governo, que ressalta o irregular. Destaca-se, também, que o entendimento desse fato não pode ser feito de forma desconexa daquela realidade social ou da compreensão dos conceitos e referenciais norteadores da vida religiosa.
PALAVRAS-CHAVE: Historiografia. Religião. Minas do Ouro.

ABSTRACT: This paper aims to discuss how some part of the contemporary historiography reproduces a strong negative representation of the priests who assisted at the Golden Mines, an image depicted since the colony times by memorialists and agents of the royal administration. It is believed that such representations are, in some measure, a result of the strong historiographic tradition, as well as of the particularity of the documents produced by the Government Office, which emphasize the irregular aspects It is also underlined that the comprehension of this fact cannot be done disconnected from that social environment or from the knowledge of the concepts and references that guided the religious life.
KEYWORDS: Historiography. Religion. The Golden Minas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2012-07-21

Como Citar

DA SILVA DIAS, R. Frades desviantes: o cotidiano e o conflito dos eclesiásticos nas minas setecentistas (1693-1745). Revista História & Perspectivas, [S. l.], v. 25, n. 46, 2012. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/historiaperspectivas/article/view/19464. Acesso em: 5 dez. 2022.

Edição

Seção

Artigos