Filantropia, controle hegemônico e a educação popular: Sociedade para a Promoção da Educação Popular na Noruega, 1850-1870

Autores

  • <i>Sigvart <i>Tosse Universidade Norueguesa de Tecnologia e Ciência (NTNU)

Resumo

A fundação da Sociedade para a Promoção da Educação Popular no início da década de 1850 foi resultado de uma mistura única de fatores singulares da Noruega e o pensamento educacional europeu, comum nos primeiros tempos do liberalismo clássico. O artigo discute os fundamentos e fatores desencadeantes que levaram à fundação da Sociedade, analisa sua ideologia, estratégias e revisões de suas atividades. Um impulso principal parece ser a organização bem sucedida do movimento dos trabalhadores noruegueses após a Revolução de 1848, na França, o que explica o foco da Sociedade no controle hegemônico através de meios educativos. Um segundo fator foi a emergente ideia da instrução e do conhecimento como fatores-chave do progresso econômico. Uma terceira razão está relacionada com a descoberta do "povo" que estimulou uma nova maneira de pensar sobre o autoaperfeiçoamento e autoeducação, como formas implícitas da aprendizagem a partir da experiência popular do trabalho e da própria vida. Quando a Sociedade dirigiu-se à instrução das pessoas, a tentativa era esclarecer a classe trabalhadora. No entanto, uma vez que restringia suas atividades de difusão do conhecimento por meio de material escrito, principalmente compilados em um jornal, em grande parte não cumpriu sua visão "trickle down", de aprendizagem para as massas. A Sociedade, portanto, conscientemente, mudou o seu foco para a classe média crescente. A partir da década de 1870, a Sociedade estava preocupada, principalmente, com a manutenção e produção de seu periódico, mas ele morreu, literalmente, em 1900.

PALAVRAS-CHAVE: Educação. Hegemonia. Povo. Século XIX.

ABSTRACT: The founding of the Society for the Promotion of the Enlightenment of the People in the beginning of the 1850s was a result of a unique mixture of indigenous Norwegian factors and common European educational thinking in the hey-days of classical liberalism. The paper discusses the background and triggering factors that led to the foundation of the Society, analyses its ideology and strategies and reviews its activities. One main impetus seems to be the successful organisation of the Norwegian labour movement in the wake of the 1848 revolution in France, which explains the Society's focus on hegemonic control through educational means. A second factor is the emergent idea of enlightenment and knowledge as key factors of economic progress. A third reason is related to the discovery of "the people" which stimulated a new way of thinking about self-improvement and self-education as implicit forms of experiential popular learning from work and life itself. When the Society addressed the enlightenment of the people it meant the lower classes. However, as it mainly restricted its activities to the dissemination of knowledge through written material, primarily compiled in a journal, it largely failed in its vision to "trickle down" learning to the masses. The Society therefore consciously shifted its focus to the growing middle classes. From the 1870s, the Society was mainly concerned about keeping its journal running, but it literally died in 1900.

KEYWORDS: Education. Hegemony. People. 19th Century.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

<i>Sigvart <i>Tosse, Universidade Norueguesa de Tecnologia e Ciência (NTNU)

Pesquisador do Centro de Pesquisa e Aprendizagem Vitalício (ViLL) - Lifelong Learning Research Centre. Universidade Norueguesa de Tecnologia e Ciência (NTNU) - The Norwegian University of Technology and Science. Em Trondheim. Noruega.

Downloads

Publicado

2010-12-15

Como Citar

<I>TOSSE, <i>Sigvart. Filantropia, controle hegemônico e a educação popular: Sociedade para a Promoção da Educação Popular na Noruega, 1850-1870. Revista História & Perspectivas, [S. l.], v. 23, n. 43, 2010. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/historiaperspectivas/article/view/19315. Acesso em: 2 dez. 2022.

Edição

Seção

Tradução