Conquistando o espaço urbano: atuação da ONG Ação Moradia em Uberlândia

Autores

  • Júlio César Meira

Resumo

Este tem como objeto de análise a ONG Ação Moradia, entidade privada vinculada à Igreja Católica que atua na área de desenvolvimento social, através de programas ligados à habitação, construindo moradias ou fornecendo tijolos ecológicos, além de oferecer cursos profissionalizantes e outras atividades de cunho social. Através da pesquisa, buscamos compreender não apenas a atuação da Ação Moradia, mas o problema da demanda de moradias em Uberlândia e o significado da casa própria como uma representação de acesso à cidadania, como uma conquista do espaço urbano, além de refletir sobre o papel do Estado no planejamento do ambiente urbano, no suprimento de moradias, e na construção dos equipamentos necessários ao bem-estar geral da população.

PALAVRAS-CHAVE: Cidadania. Desenvolvimento. Habitação.

ABSTRACT: This article is a version of the second chapter of the master's dissertation of the author and is subject to search the ONG Ação Moradia, private entity linked to the Catholic Church that operates in the area of social development, through programs related to housing, building houses or providing ecological bricks, besides offering professional courses and other activities of a social nature. Through research, we understand not only the work of Ação Moradia, but the problem of demand for homes in Uberlândia and the meaning of home as a proxy for access to their own citizenship, as a conquest of urban space, and reflect on the role the State in the planning of urban environment, the supply of homes, and construction of equipment necessary for the welfare of the general population.

KEYWORDS: Citizenship. Development. Housing.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2010-01-28

Como Citar

CÉSAR MEIRA, J. Conquistando o espaço urbano: atuação da ONG Ação Moradia em Uberlândia. Revista História & Perspectivas, [S. l.], v. 22, n. 41, 2010. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/historiaperspectivas/article/view/19242. Acesso em: 29 maio. 2022.

Edição

Seção

Artigos