[1]
F. W. de A. Lopes, A. P. Magalhães Jr, e E. von Sperling, “BALNEABILIDADE EM ÁGUAS DOCES NO BRASIL: RISCOS A SAÚDE, LIMITAÇÕES METODOLÓGICAS E OPERACIONAIS”, Hygeia, vol. 9, nº 16, p. 28–47, jun. 2013.